quarta-feira, 19 de abril de 2017

São Pedro de Arbués

A História deixou-nos incontáveis exemplos de devoções ardentes ao Santíssimo Sacramento.
Corria o ano de 1485, época em que, devido a atuação dos hereges, aumentava também a vigilância da Santa Madre Igreja. No Reino de Aragão, havia alguns anos, atuava um fogoso amante da ortodoxia: um religioso agostiniano chamado Pedro de Arbués. Não se contentava em se opor aos propugnadores da heresia que lhe eram apresentados, mas buscava ele mesmo os adversários da Fé nas suas assembleias para convencê-los de seus erros, provocando tal ódio, que precisava de especiais cuidados de segurança.
Sendo ele o homem mais odiado pelos hereges, era frequentemente vítima de atentados. Quantos impios não foram surpreendidos ao tentarem cravar em seu corpo espadas e punhais, sendo impedidos pela cota de malha que o prudente homem de Deus vestia sob seu hábito!
Entretanto, alguns homens, meticulosamente instruidos, arranjaram um modo de acabar com o principal obstáculo das heresias. Em uma noite, rezava o santo na Catedral de Zaragoza Àquele que lhe foi durante toda a vida objeto de maior devoção: o Santíssimo Sacramento. Mas, ao contrário do que pensava, não estava só. Quatro homens armados de gladios estavam escondidos, esperando o momento para atacá-lo. Passado certo tempo, quando perceberam que São Pedro estava inteiramente atento à Sagrada Eucaristia, foram em direção a ele, passo ante passo, silenciosamente aproximaram-se dele, e introduziram as armas no único vão existente na cota de matha, na região do pescoço.
Imediatamente saíram correndo, enquanto o corpo caiu no chão, formando uma imensa poça de sangue, ao passo que as espadas permaneceram miraculosamente suspensas no ar, e até hoje se veneram nesse local. Ao amanhecer, um sacerdote da região foi abrir a catedral, e encontrou no chão o corpo do grande defensor da Fé. Sem hesitar, sua primeira providência foi celebrar uma Missa pelo santo, com o corpo ali presente. Entretanto, no momento da elevação, o sacerdote ouviu um pequeno ruído, e percebeu que, como último preito de devoção, o sangue ali jazente fervia a ponto de borbulhar!

Dessa maneira foi martirizado o grande São Pedro Arbués, protetor da Fé, defensor dos verdadeiros católicos de seu tempo e modelo de devoto do Santíssimo Sacramento. Possa o seu exemplo inspirar a devoção Eucarística.
Arautos do Evangelho - Chez nous

Nenhum comentário: